Um grave acidente envolvendo dois carros provocou a morte de três pessoas e deixou outras três feridas por volta das 15h desta terça-feira, na BR-040, na divisa entre Nova Lima e Itabirito, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Por causa da batida frontal, a rodovia foi interditada nos dois sentidos, o que provocou um grande engarrafamento, que chegou a oito quilômetros em torno das 17h, horário de pico no retorno do feriadão.

PUBLICIDADE
WhatsApp Minuto Mais

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu na altura do Km 575, próximo à Lagoa dos Ingleses. Um Chevrolet Corsa, emplacado na capital mineira, e um Volkswagen Logus, de Congonhas, Região Central de Minas, bateram de frente.

Os bombeiros informaram que quatro passageiros viajavam no Corsa. Dois homens que estavam no veículo sobreviveram e duas mulheres morreram. Uma delas foi resgatada com vida, mas, segundo os militares, morreu de parada cardiorrespiratória depois de ter sido retirada das ferragens.

Segundo a corporação, no Logus viajavam mãe e filha, o que, até a publicação desta matéria, não havia sido confirmado oficialmente. A suposta filha precisou ser socorrida pelo helicóptero da Polícia Militar (PM) e a outra mulher morreu.

Carro envolvido no acidente – Foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press

As três vítimas que sobreviveram ao acidente estavam em estado grave e foram levados para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. A identidade delas e a dos mortos não foi divulgada. O resgate dos corpos demandou muito trabalho dos bombeiros, já que eles estavam presos às ferragens.

De acordo com as primeiras impressões, uma possível causa para a batida é que a mulher que conduzia o Logus tenha invadido a contramão. “A dinâmica apurada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) é de que o Logus bateu numa canelada, invadiu a contramão e trombou de frente com o Corsa. O Logus estava no sentido Rio de Janeiro”, explicou o tenente do Corpo de Bombeiros Rafael Silva de Almeida.

Os peritos, que vão determinar o motivo do acidente, chegaram ao local por volta das 17h.

Texto: Jornal Estado de Minas