À esquerda, Lucas (condenado). À direita, Nícolas (vítima). Fotos: reproduções

A defesa do condenado Lucas Romão da Silva (20) defendeu, durante o julgamento, na segunda-feira (2), em Itabirito (MG), a tese de que o réu teria se vingado de Nícolas por causa uma briga pontual. Já o Ministério Público (MP) acredita que o assassinato da vítima tenha ocorrido por disputa de ponto de droga.

O crime aconteceu em 14 de fevereiro deste ano no bairro Vila Gonçalo.

Nícolas foi morto em plena rua, ao meio-dia, perto da casa onde morava, alvejado com 5 tiros disparados por Lucas.

Disputa de ponto

Na versão de Lucas, o motivo do crime teria sido uma vingança. Ele disse que o assassinato foi por causa de um desentendimento específico entre Nícolas e uma terceira pessoa, no qual Lucas interveio. Em meio a essa briga, Lucas foi ferido por Nícolas, e levou 12 pontos em uma das mãos.

Já a acusação acredita o motivo tenha sido briga por ponto de droga. Lucas queria tomar o ponto de Nícolas, que (segundo o MP) vendia substâncias ilícitas para sustentar o vicio.

De acordo com as investigações do MP, Lucas premeditou a morte de Nícolas quando adquiriu uma arma três semanas antes do homicídio. Também por isso, o assassino foi condenado por homicídio qualificado.