Bolsonaro. Foto: reprodução

Por Felipe Dourado, do Poder 360 – Um dos nomes mais conhecidos do grupo racista norte-americano Ku Klux Klan (KKK), o historiador David Duke se pronunciou sobre o candidato brasileiro à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), durante a apresentação de seu programa de rádio na 3ª feira (9.out.2018).“Ele soa como nós. E também é 1 candidato muito forte. É 1 nacionalista”, disse.

PUBLICIDADE
WhatsApp Minuto Mais

Duke também comentou a situação política no Brasil. “Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, na Espanha, Alemanha ou França. E ele está falando sobre o desastre demográfico que existe no Brasil e a enorme criminalidade que existe ali, como por exemplo nos bairros negros do Brasil”.

Duke frequentemente classifica Nelson Mandela, vencedor do prêmio Nobel da Paz, como “terrorista”.

Print do post de Bolsonaro. Imagem: reprodução

O grupo Ku Klux Klan se tornou conhecido por defender a supremacia branca sobre os negros, e por reivindicar torturas e linchamentos que ocorreram com os negros nos EUA na 2ª metade do século 19.

Bolsonaro respondeu Duke. Disse que recusa apoio de grupos supremacistas. “Sugiro que, por coerência, apoiem o candidato de esquerda, que adora segregar a sociedade”, disse.

Duke –que desacredita na veracidade do Holocausto– fez ressalvas à proximidade de Bolsonaro com Israel, comparando essa “estratégia” à que Donald Trump teria adotado em sua visão.

Ele vai fazer coisas a favor de Israel, e acredito que ele esteja tentando adotar a mesma estratégia: acho que Trump sabe que o poder judaico está levando a América ao desastre, levando a Europa e o mundo ao desastre. Então, o que ele está tentando fazer é ser positivo em relação aos judeus nacionalistas em Israel como uma maneira de obter apoio“, disse o americano.

Conteúdo produzido pelo Portal Poder360 – www.poder360.com.br. Todos os direitos reservados. Reprodução permitida mediante autorização expressa.