Mais dicas via ilustração. Imagem: fisioterapiahumberto.blogspot.com.br

Michelle Cardoso, ortopedista do Hospital Alvorada, de SP, em artigo enviado ao Minuto Mais

Após o carnaval, começa de fato o período escolar, e apesar de parecer inofensivo, um item merece atenção especial dos pais no período de volta às aulas: a mochila. O excesso de peso e o ajuste incorreto das alças podem comprometer a coluna das crianças. Leia, a seguir, cinco dicas sobre como calcular o peso ideal e outras medidas que podem ser tomadas para prevenir lesões.

1 – Controlar o peso

A mochila deve pesar, no máximo, 10% do peso total da criança. Isso parece pouco, especialmente para crianças menores. Por isso, é aconselhável levar apenas os materiais necessários para um dia de aula. As escolas têm um papel importante nisso também, por conta da lista de itens que elas exigem para uso nas aulas. É importante levar em consideração que as crianças terão que carregar todo o material solicitado. Outro ponto importante é utilizar itens desenvolvidos especialmente para crianças – que geralmente são produzidos com materiais mais leves.

2 – Fazer o ajuste correto

A mochila deve ficar bem rente às costas e terminar até 5 cm abaixo da cintura da criança – e não na altura das nádegas, o que sobrecarrega a lombar. Se o item contar com um cinto frontal para dar sustentação, é ainda melhor. Outra boa dica é que, ao caminhar, o aluno apoie as mãos na extensão que serve para ajustar a alça da mochila, à frente do corpo.

3 – Prevenir é o melhor remédio

A prática de atividade física é a maior aliada para o fortalecimento da coluna. No caso das crianças, o esporte mais indicado é a natação – desde que não haja nenhuma restrição. Acima dos sete anos e em casos em que já apresentem algum grau de desnivelamento muscular, o indicado é a RPG (reeducação postural global).

4 – Observar a postura e possíveis dores

O uso incorreto da mochila pode provocar dor no ombro, nas costas (dorsal e lombar) e, quando usada em um ombro só, pode acarretar um desnivelamento de ombros ou até uma escoliose (um tipo de curvatura na coluna vertebral) – que pode tornar-se um problema na fase adulta. Por isso, é importante observar a postura adotada ao carregar a mochila – se fica um vão na lombar ou se há uma pequena corcunda – e, a qualquer sinal de dor, procurar um especialista. A criança é “zero-quilômetro”. Então, quando ela se queixa de dor, tem que ouvir com atenção, procurar um médico e iniciar um tratamento preventivo.

5 – Cuidar também da postura nos momentos de lazer

Crianças têm passado cada vez mais tempo interagindo com tablets e outros aparelhos eletrônicos. Nesses momentos, elas tendem a ficar com a coluna cervical projetada para a frente, fora do alinhamento adequado. “Isso também pode ser tratado com a atividade física. Mas é importante controlar o tempo que a criança passa brincando com esses dispositivos”, completa Michelle.