Pré-candidatos de Itabirito não têm dado muita importância às redes sociais

Imagem de internet

Marcelo Rebelo – Articulista do Minuto Mais

É fato que as redes sociais são um componente essencial para quem quiser ampliar o seu espaço eleitoral. Incorporadas ao dia a dia das pessoas não é mais possível deixá-las de lado nas campanhas. O modelo tradicional do candidato em contato com o público nas eleições municipais, olho no olho, de porta em porta, vai manter-se como tática importante, mas a mobilização virtual, sobretudo, de desconstrução de imagem será massiva e muitos marinheiros de primeira viagem no mundo virtual com certeza vão naufragar.

De características essencialmente anárquicas, as redes e mídias sociais possuem a capacidade de ampliar a exposição dos candidatos a níveis extremos tanto para o bem como para o mal. Assim, o marketing político no meio virtual deve ser bem planejado, conduzido por uma equipe antenada, monitorando on line o que se passa na rede e com timing para responder de imediato aos ataques e principalmente aos boatos.

As eleições de outubro, na opinião de analistas de marketing político, serão muito difíceis para os candidatos tradicionais e pouco familiarizados com o meio virtual. Primeiro pelo escasso tempo permitido para a campanha, 45 dias, pelo teto de gasto imposto, tanto para o legislativo, quanto para o executivo, depois pela proibição de doações empresariais, que acaba nivelando o jogo e isso é muito bom.

Alguns pré-candidatos já familiarizados com o ditado de “quem chega primeiro à fonte bebe água limpa” já estão aí no meio virtual, divulgando o nome, estreitando relacionamentos, ganhando curtidas e compartilhando ideias e propostas. Esses estão mais do que certos, pois quem deixar para iniciar a campanha, apenas no período eleitoral vai quebrar a cara, pois não terá tempo para ganhar espaço nas ferramentas.

Entretanto, a receita para o sucesso, inclusive para os que já iniciaram as campanhas virtuais, é simples e atende pelo nome de preparo. É necessário planejar com antecedência as estratégias de comunicação, dada a especificidade das plataformas digitais. Para isso, é fundamental saber gerar conteúdo de qualidade.

Tenho acompanhado, atentamente, a movimentação dos pré-candidatos no mundo virtual daqui de Itabirito, e o cenário não tem sido muito empolgante. Dos candidatos ao legislativo, quase nada tem sido postado.

Em relação ao executivo não tem sido diferente, até agora apenas um pré-candidato tem dado as caras nas redes sociais, postando artigos, apresentando suas ideias e dialogando com o eleitorado sobre algumas questões pontuais de nossa cidade.

Isso é uma pena, com a aproximação do pleito eleitoral quanto mais informações o eleitor obtiver dos candidatos é melhor para basear as escolhas. Acredito que a presença do universo político nas redes sociais é muito importante, já que desperta o interesse do eleitor pela política, contribui para a diminuição de votos brancos e nulos e fortalece o processo democrático.

*Marcelo Rebelo é jornalista, relações-públicas, pós-graduado em E-commerce e servidor efetivo da Secom da prefeitura de Itabirito.