Lula. Foto - reprodução

BRASÍLIA (DF) – A ministra do Supremo Tribunal Federal, Rosa Weber, considerada a fiel da balança, exaltando a colegialidade, votou contra o habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Lula (PT).

Isso complica, e muito, a situação do ex-presidente. A questão em debate, resumidamente, é se Lula será preso ou não.

O Supremo Tribunal, neste momento, vota o pedido do ex-presidente para evitar a prisão no caso triplex investigado pela Lava Jato.

Os ministros Fachin, Moraes e Barroso também se posicionaram contra o habeas corpus. Gilmar votou a favor.

O placar, portanto, está 4 a 1.

Segundo o Estadão, independentemente da decisão a ser tomada pelo STF, do ponto de vista do direito eleitoral, não há impedimento para o eventual registro de sua candidatura nas eleições.

A avaliação é de Cristiano Vilela, especialista em direito eleitoral, membro da Comissão de Direito Eleitoral da OAB-SP.

Segundo Vilela, somente após a apreciação do registro da candidatura do petista pelo Tribunal Superior Eleitoral, é que a Justiça decidirá se ele estará ou não inelegível.