Aécio Neves. Foto: George Gianni

O que todo mundo sabia que ia acontecer, aconteceu. O senador Aécio Neves (PSDB) teve de volta o seu mandato parlamentar. Essa foi a decisão dos senadores em votação na noite desta terça-feira (17).

Com 44 votos favoráveis à Aécio Neves (PSDB) e 26 contrários, o tucano alcançou a vitória.

Aécio estava afastado da Casa desde o final de setembro, quando a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) tomou a decisão, por 3 votos a 2, com base nas investigações contra o mineiro a partir das delações premiadas de executivos do Grupo J&F.

O colegiado também impôs a Aécio o recolhimento noturno, medida que, assim como a suspensão do mandato, foi derrubada no plenário do Senado.

DENÚNCIAS

As denúncias que comprometeram o futuro político de Aécio e o afastou de seu mandato são com base nas delações de executivos da J&F, que controla a JBS. A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou Aécio ao Supremo pelos crimes de obstrução de Justiça e corrupção passiva.

Segundo a PGR, Aécio praticou os crimes ao pedir e receber R$ 2 milhões da JBS, além de ter atuado no Senado e junto ao governo para embaraçar as investigações da Lava Jato.

Aécio nega as acusações e se diz “vítima de armação”.